quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

O Que Mais Ganho Com O Blog


divulgue isso para os seus amigos te conhecerem melhor – Paula Arrais

Você é o doente que eu mais gosto nessa vida rsrs! Adoro saber que você pode compartilhar comigo coisas que só um teclado de pc é possível arrancar. E saiba... o que sinto por você é tãããão puro e inocente que nada pede em troca... nem precisa me amar de volta, é de graça! – Idalina Duarte

saiba que mesmo tenhamos conversado poucas as vezes ainda, sabe que ganhou mais uma pessoa torcendo positivamente para você, e vamos lutar contra essa doença estranha... aoheuaeou to aqui para o que precisar, e vamos juntos, que vai dar td certo. E o blog é fantástico, ta sendo a minha realidade ultimamente. Beijos - Juliana Reder

Esse post está parecendo uma biografia minha... – Jones H. Martins

Sua fala é muito parecida com a minha... quase chorei. Só quem sente é que sabe e nós ainda pensamos q somos únicos e é bem revoltante. –Cecília Marinho

adorei seu blog e não teria como não me identificar com você e sua luta que também é minha.Parabéns pela coragem. – Vanessa

Que que ce tem na cabeça pra ficar 2 anos sem Coca?  - Luan Lima

kkkkkkkk, engraçado foi vc morrendo de medo de tomar refrigerante, como se vc fosse morrer por tomar ;D – Paula Arrais

 Fico feliz por tantas coisas boas acontecerem com você, por saber escrever tão bem o que anda acontecendo e por ser tudo verdadeiramente real. – Shirley Araújo

*-*, vc ta gordoooooo! to super feliz com o seu aumento de peso hoje eu vi a diferença dos 50 kg! e quanto ao post anterior eu pretendo estar sempre presente nao só nos seus aniversarios, mas nos melhores momentos da sua vida! Vc é o melhor Tio!  - Bartira Dunke

ooow eu não sou "nem" não...estou ali fazendo parte do "amigos" Força irmão...os brodz estão aqui ;D  - Felipi Faria

Arthur, não se deprima! Sei bem como é se sentir assim, e entendo sua angústia. Amigos, parceiros, companheiros de jornada, estão com a gente porque nos amam. Os de verdade estão do nosso lado. Sinta cada dor como se fosse uma motivação para um futuro melhor, um obstáculo a ser vencido que não é nem um grão de areia comparado com a imensisão do deserto de provações que nos é imposto por toda nossa vida. Torço pra que você vença todas elas com garra, força e militancia. Se precisar, tamo aí! =) – Viviane Silva

Suuper linda a foto e o comentario sobre a gente, espero que possamos ficar muito mais tempo juntos, pq eu sou a mulher mais feliz do mundo ao seu lado s2 – Paula Arrais

 eu tbm tenho o crohn..é muito bom saber que nao to nessa sozinha,que tem mais gente que ja sentiu tudo o que eu senti,é que tem que conviver com medo de tudo voltar um dia...boa sorte...vamos vencer essa fase escura!! o mundo ainda vai dar muitas voltas. – Anônimo

Querido Arthur, Eu ainda tenho as crises, mas aprendi a conviver... Nossas conversas tem ajudado e mto...hihi bjO - Ingrid Jordão

É isso aí Arthur... A vida tem dessas coisas... Mas nada como um dia atras do outro, e Lulu com Skank no meio!!kkkkk' Força! Amo seu blog... ele me estimula, bastante, a ver a vida com outros olhos, mesmo não tendo Crohn! Beijão!  - M.S

Vc realmente é inspirador!A 15 dias descobri que a minha filha de 19 anos tem crohn e ainda estou muito perdida,apesar de ser da area da saude...vou te fazer muitas visitas ta bom? – Fátima

Vocês é Demais, meu amigo! (y) Eu amo você! \o To sempre por aqui... Te acompanhando. – Anônimo

Olhá só, meu nome aqui no post. =) Gostei muito de te conhecer pessoalmente, apesar de ter sido rápido. Continua a escrever sim, eu tive as primeiras impressões da doença, qd joguei no google a palavra crohn e ele me direcionou pro teu blog. É uma outra forma de ver a doença, bem diferente das etiologias, profilaxias e diagnósticos que a gnt ver em outros sites por aí. Linguagem, design e força de vontade colaboram. Não deixe de fazer. Beijos,  - Cecília Marinho. 

deixe de besteira ome, vá cagar - Leandro Neanderthal 

Caro Arthur, você descreveu com perfeição esse caso ...  Abraços amigo e saiba mais uma vez, sou seu fã.Vc sabe falar por todos nós o que sentimos.!!  - J. henrique

só nós sabemos o que é passar por isso porém temos as melhores cabeças do mundo, poderiamos chorar, reclamar, lamentar, e se afastar, ao contrário, sorrimos, acreditamos, nos juntamos e nossos amigos nos apoia. 
Quer coisa melhor do que isso! - Willian





quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Retrospectiva Antecipada


Ainda não sei se quero que esse ano termine logo ou se eu desejaria que ele fosse um pouco mais prolongado. Acho que isso é porque no fim, tudo deu certo, porque até chegar nele tive que passar por barreiras enormes, algumas que nunca pensei que iria ter que enfrentar. Mas como falei, no fim tudo deu certo.

Nunca estive tão bem de saúde depois que descobri a doença. Nesse mês bati meu recorde de peso novamente e agora estou com 55kg. Ainda estou com minha turma de amigos de sempre, alguns novos e todos os velhos e bons de sempre. Esse mês, mais uma vez, tentarei fazer o meu aniversário frustrado. Já liguei para todo mundo e se dependesse do que eles me dizem, era certeza ter umas 100 pessoas na festa. Mas vou contar com os que nunca furam, então let’s go Cristiano, Bartira e Paula.



Em relação a doença, estou mais acostumado com o aumento de vezes que preciso ir ao banheiro e também com a coceira que vinha sentindo. A pele seca era efeito dos remédios manipulados que o dermatologista "sem noção" resolveu me receitar, mas esses dias encontrei pela net uma descrição dos efeitos colaterais do remicade, dizendo que a coceira que estou sentindo é uma reação comum ao medicamento. Hoje já estou mais acostumado com a coceira, mas espero que esse incômodo desapareça com o passar do tempo. 


Sei que essa semana estou feliz, falta pouco para eu estar de férias, nem que seja apenas duas semanas. Tou ansioso para a chegada de 2012, tou esperando que seja melhor do que 2010, e com realizações maiores do que 2011... Parece que finalmente conseguirei cursar design gráfico, um sonho pra mim e uma obrigação pra tantos.


Espero estar voltando aqui depois do aniversário para saber se o pessoal se comoveu com o drama que fiz... Tchau!

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

O Banheiro do Vizinho

Antes da doença, ficava me segurando para não usar o banheiro da casa dos outros. Essa realidade mudou, o que não mudou foi o constrangimento que sinto por isso. Tento me acostumar porque sei que as pessoas com quem eu ando já sabem da minha doença e entendem que é uma questão de necessidade mesmo.


Falo como se isso fosse fácil, porém não é. Você que não tem crohn, imagine todas as vezes que você precisou usar o banheiro do seu amigo, da casa da sua sogra ou do shopping, agora pense que você tem essa necessidade todos os dias, acho que assim todos podem imaginar o quanto é complicado ter que se adaptar a esse fato. Não sei se esse constrangimento é igual pra todo mundo, mas já deixo a indireta pra os meus amigos que leem o meu blog, se um dia eu precisar usar o banheiro da casa de vocês tentem ligar um sonzinho ou ir pra um lugar mais distante, isso ajuda muito.


Depois da cirurgia tive que conviver ainda mais com isso, já que sempre que vou ao banheiro, logo em seguida tenho vontade novamente. Preciso me adaptar, espero que seja só uma questão de tempo.


Hoje percebi que já faz mais de um ano que fiz minha primeira postagem aqui no blog e que por dois meses consecutivos meu blog teve o maior número de visualizações. Tou conhecendo gente nova e os antigos que as vezes esqueço de falar também estão sempre por aqui como é o caso de Jones e de Ingrid.


Passei um fim de semana muito bom, onde reencontrei meus melhores amigos Felipe Faria e Walter Jr., junto do meu amor Paula Arrais. Hoje fui assistir ao espetáculo "Cóssegas" e acho que foi esse clima de comédia que me deu inspiração pra esse poste.





quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Vivendo e Sobrevivendo

Já faz algum tempo que venho tentando procurar um momento onde eu esteja menos cansado para escrever alguma coisa por aqui. Agora são 0h e 14min, e esse momento, ainda cansado, foi o que me restou.


Conversei com um grupo de amigos sobre essa distribuição de tempo e o que realmente é importante em nossas vidas, se vivemos mais que sobrevivemos ou se sobrevivemos mais que vivemos? Acho que nossa vida é única e até que provem o contrário, continuarei tentando viver até mesmo nos momentos em que estou sobrevivendo. Então, mesmo que eu só esteja tendo esse tempo para postar, passo o dia junto da minha namorada, estou fazendo uma faculdade (o diretor do campus vai me ajudar na divulgação do blog e mandou imprimir 100 cartazes) onde tenho pessoas super divertidas ao meu redor e no trabalho tou aprendendo a conviver com diversos tipos de pessoas, procurando sempre crescer com isso.


O crohn não só  me trouxe coisas ruins. Creio que sou outra pessoa e mesmo que digamos que vivemos intensamente, nem sempre isso é verdade. Hoje posso ainda não tá com todos os meus sonhos concretizados, mas penso que tudo que eu posso ter e que está ao meu redor para me proporcionar felicidade eu estou tendo.


Voltando aos problemas que vinha enfrentando com a pele, desisti de usar os remédios e agora só me coço toda vida que tomo banho e pronto. A pele parou de despelar com a suspensão do medicamento. 


Amanhã irei na UNICAT pegar o Remicade para fazer minha 4ª infusão, também aguardo os resultados de alguns exames de sangue, para ver como meu organismo está se adaptando a nova medicação. O meu peso ainda está nos 54kg, espero postar logo logo um peso melhor, fiquei muito feliz quando fui no interior e TODOS comentaram como minha aparência estava melhor.


Esses dias tenho me aproximado cada vez mais do pessoal que conheci aqui pelo blog, falei pelo skype com Maurício e pela primeira vez conheci pessoalmente alguém com crohn, Cecília Marinho. Mais uma vez queria agradecer pelos acessos ao blog e dizer que já está chegando aos 5.000 views. E desculpe pela postagem ter ficado um pouco sem sentido, é que o sono não está ajudando.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Nem Tudo É Bom

Já falei dos ótimos profissionais que encontrei ao longo do caminho e hoje vou comentar sobre os que não foram tão bons assim e que chegaram a ser pior do que imaginei.

Já me deparei com médico muito velho que nunca falava nada e só passava remédio, já teve um que disse que eu tinha crohn mesmo sem eu ter apresentado nenhum exame pra ele, já tive ortopedista que mandou eu tirar a camisa e me passou um raio-x, sem perguntar nem o meu nome.... Enfim, só nunca tinha chegado ao ponto de não ter dado tempo de sentar. 

Minha pele começou a descascar muito e resolvi voltar no médico para saber se era normal o que estava acontecendo e aproveitar para saber mais detalhes, já que a última consulta que tive com ele não fiquei sabendo nem a causa da minha coceira. Quando entrei, ele viu os medicamentos que ele tinha passado e me mandou ficar 3 dias sem usar um deles. Vocês tão esperando continuação? Eu também esperei, mas foi isso a consulta, nem sentei. Fiquei tão desnorteado com a falta de profissionalismo que ia me esquecendo de perguntar o que estava causando a minha coceira ... "Uma urticária", isso mesmo, sou um dermatologista e sei bem o que é isso que ele disse. O que seria da minha vida sem o google?

Isso tudo aconteceu após andar bastante no sol quente dessa cidade. Mas como nem tudo é ruim, tenho notícias boas, uma delas é que eu estou com 54kg pela primeira vez na vida, esse mês tem três feriados, esse fim de semana irei pra um festival com Lulu Santos e Skank e no próximo fim de semana irei pra Pipa... Tou reclamando de que? ;D

Agradeço a indicação de Carla na postagem anterior, vou consultar se esse dermatologista atende pelo meu plano...





segunda-feira, 24 de outubro de 2011

O Crohn, O Blog, 4.000 Visualizações e Muitas Amizades

Fui a um dermatologista como tinha falado no poste anterior. O mesmo tinha sido indicado por Marco Zerôncio, mas acabei não gostando pela grosseria, rapidez e a falta de informação que foram trocadas na consulta. Enfim, vou fazer o tratamento mesmo assim, já que minha irmã fez tratamento com ele e resolveu o problema e também foi uma indicação do meu médico. As informações que o dermatologista me passou foram tão poucas que eu não faço a menor ideia do que se trata minha alergia.

Aproveitei para ir a Dr. Romualdo, já que a última vez que fui pra ele foi no dia de tirar os pontos da cirurgia. Aproveitei pra comentar que ainda tenho diarreia e que tou indo umas 3 vezes ao dia pro banheiro, essas vezes  com intervalos de aproximadamente 30 min, ele disse que é normal já que a parte que ele tirou foi a válvula ileocecal e que o intestino passa um tempo para se adaptar. Senti um clima de despedida na consulta, fiquei feliz por saber que estou com a situação dentro de controle, mas sentirei saudade do ótimo profissional que me acompanhou nessa jornada por alguns anos. 

Esses dias o blog completou 4.000 visualizações e fico feliz com o número de comentários que foram feitos essa última semana. Gostaria de lembrar que leio todos e tento fazer o possível para ajudar. O comentário feito no poste anterior de Laila me chamou atenção. Fala do cunhado dela de 19 anos que tem crohn e está sofrendo com a doença. Gostaria de dizer para todos que se encontram na mesma situação, que busquei viver mais, ter mais amigos, li mais, assisti mais filmes... e que só tentando ser feliz é que eu tou conseguindo. Nem tudo ao longo desse tempo com crohn foram momentos felizes, mas procuro lembrar que eu tenho condições de ter uma vida normal e espero milagres com o avanço da medicina. 

Tou feliz, tou com saúde. Espero ter ajudado de alguma forma, o blog me ajudou muito... conheci pessoas que são amigos até hoje, pessoas que me ajudaram... assim como Luan, Dona Graça entre outros.

Até mais...

terça-feira, 11 de outubro de 2011

Uma Mudança Em Mim

Que eu não gosto de água, isso todo mundo já sabe. Agora ter alergia a ela isso eu não esperava. Esses dias a minha pele começou a ficar irritada e coçando todas as vezes que entro debaixo do chuveiro. Perguntei ao médico se poderia ser uma reação alérgica ao remicade, mas ele disse que normalmente as alergias são sentidas durante a aplicação do medicamento, as intolerâncias que costumam apresentarem nos dias seguintes são náuseas e dores no corpo, não uma coceira. Enfim, ele pediu para procurar um dermatologista e descobrir o que está acontecendo. Mais um caso em mim que não parece ser óbvio.


Mas essa alergia não foi a única coisa que mudou em mim. A opinião da minha família sobre o alargador ainda é de intolerância, mas depois de uma conversa quente com direito a mais emoção e choros do que a novela das oito, sinto que daqui pra frente surge uma intimidade e uma abertura maior ou pelo menos alguma abertura pra um diálogo, já que nunca tive nenhum.


Sou assim, sou diferente deles. Acho que tou buscando minha felicidade como falei que é o meu propósito de vida depois do Crohn e acho que tou seguindo com essa ideia.


Busquei logo o blog pra desabafar, me sinto muito bem todas as vezes que venho postar algo aqui. Fico mais leve, tranquilo e até reflito sobre meus pensamentos quando tento passar de uma forma coerente pra cá.

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

3ª Infusão e Uma 3ª Complicação

Não sei se será sempre assim, mas desde que comecei o tratamento com o Remicade venho encontrando problemas de diversas partes, principalmente da UNICAT e do São Marcos.


Hoje fiquei bastante chateado com a forma que fui atendido quando liguei pra UNICAT. Às vezes entendo que as pessoas estão exaustas por tratar com pessoas que não tem muita instrução ou estudo e são um pouco brutos por isso. Mas também penso que quando ficamos responsáveis por atender esse público devemos ter o máximo de paciência. De qualquer forma, a mulher que me atendeu foi ignorante no sentido de falta de informação mesmo, dizendo que eu teria que ser OBRIGADO a saber que teria um feriado no dia de pegar meu medicamento e segundo ela ter ido "15 dias" antes ao meu médico pegar o documento necessário para o recebimento. Enfim, perguntei o que poderia fazer e ela disse "não sei"...  e assim terminou a ligação.


Agora me diga de que forma ela me ajudou? Penso que muita gente gosta de fazer as coisas de última hora por comodismo, mas nem todo mundo se encontra nessa situação. Acho que respeito é uma coisa que devemos ter quando lidamos com outras pessoas. Da mesma forma que encontrei Graça Medeiros, a assistente social que me ajudou, encontro também pessoas despreparadas no mesmo local.


Com muita luta estou com o medicamento em mãos e esperando por terça-feira, agora se eu não tivesse um "tio" médico e sabendo que Dr. Marco Zerôncio estaria viajando, o que eu deveria fazer?

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Insegurança

Penso que entre ser forte e ter medo existe um grande espaço. Mas é assim que me sinto com o Crohn. Acho que a palavra que cabe entre esse espaço seria a insegurança. Sou inseguro porque tenho medo e quando vejo o quanto tive que ser forte me pergunto como consegui ser com tanto medo. O medo cresceu, mas com ele também me sinto mais forte. Ou seja, será que sou uma contradição?


Quero pensar que sou uma pessoa "curada" de acordo com a probabilidade que o médico me disse de nunca mais ter uma úlcera. Mas não sei de verdade como estou, já que as vezes ainda tenho um pouco de diarreia e ele disse que isso é normal. Normal? O que é norma?.. todo mundo tem diarreia umas 3 vezes por semana? Também sinto que não posso forçar a barriga porque dói um pouco. Penso que isso é só frescura minha e espero que esse pequeno incômodo faça parte do processo de cicatrização.


Busco esquecer o Crohn e ser feliz nos momentos que passo ao lado de amigos e namorada. É assim que consigo ser forte. Mas sinto um pouco de inveja de ser uma pessoa que irá ter preocupações com seu estado de saúde mais à frente. Tenho medo, mas tento ser forte, como tive tentado ser nos momentos ruins que passei com o Crohn, mas não sei se será sempre assim e tenho medo disso.


Sempre gostei de ser criança, de adiar minhas responsabilidades... e fui forçado a amadurecer. Com isso mudei porque hoje me sinto um adulto, mas como todo adulto, tenho saudade de ser criança. Sou inseguro nas minhas opiniões, quero pensar então que estou na adolescência e assim posso ser um adulto-criança, posso rir nos momentos felizes e chorar nos ruins e assim serei inseguro até o dia que eu tiver certeza que o Crohn não fará mais parte de mim.

terça-feira, 13 de setembro de 2011

All Clear

Fiz minha segunda infusão de Remicade, ainda me sinto bem e espero que assim seja por muito tempo.


Como todas as vezes, ainda encontro problemas que são apresentados tanto pela parte da UNICAT quanto pelo hospital São Marcos. Dessa vez é uma coisa simples, mas fico cansado de tentar explicar burocracias que são impostas a mim por algum desses institutos e me encaram como se a culpa fosse minha. Dessa vez o motivo foi o quite de infusão, que segundo o hospital São Marcos, o quite não vem completo para a dosagem que é aplicada em mim e a solução seria eu levar 2 quites. Por parte da UNICAT, eles dizem que não podem fornecer mais de um quite, pois a quantidade que vem é proporcional a do medicamento. Jogando de um para outro, ainda não obtive a solução, como o problema é menor como falei, o São Marcos fez a aplicação sem gerar nenhum transtorno... pelo menos isso de bom.


Enfim... tudo tranquilo com relação a minha saúde, mas um mês bem tumultuado em relação aos demais assuntos. Nesse mês tou tendo problemas para pagar minhas contas e o dinheiro que já tava abaixo do meu orçamento, ainda foi descontado R$ 50,00 pela "assistente social" do IFRN, que de assistência mesmo ela só fez descontar dinheiro dois meses consecutivos, pelos dias que passei em recuperação.


Esse mês resolvi colocar um alargador, algo simples, da minha vontade a muito tempo, mas que sabia que iria gerar um tumulto na minha família, pois como já havia comentado em um poste anterior, é muito conservadora e jamais admitiria uma coisa dessas. Mas depois de muita discussão, ainda estou em casa. Agora tudo está mais tranquilo e me sinto mais aliviado, talvez até mais eu mesmo, coisa que faz muito tempo que eu não conseguia ser dentro da minha própria casa.


segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Um Filme, Um Pensamento

Ainda quando me deparo com filmes que mostram pessoas em hospitais me sinto um pouco desconfortável com a situação. Mas mesmo assim considero que hoje, com aproximadamente 2 meses após a cirurgia, estou com pensamentos bem mais aliviados da angústia que vinha sentindo.


Finalmente a situação parece estar controlada. Amanhã tomarei a segunda dose do Remicade e estou cada vez mais gordinho. Não sei o quanto isso influencia na vida das outras pessoas que tem crohn, mas comigo aumentar peso é uma meta.


Semana passada voltei ao médico pra pegar a prescrição da segunda dose do remédio. Não tinha dúvidas para serem tiradas, mas me veio uma curiosidade, que seria saber se algum medicamento poderia cortar o efeito do Remicade, ele disse que não, mas qualquer anti-inflamatório pode reativar o crohn nas pessoas que fizeram a cirurgia. Eu achei que isso seria uma informação importante não só pra mim, mas pra todos que estiverem lendo e compartilham do mesma doença que a minha.


Também tenho aproveitado meus momentos a sós para refletir um pouco sobre minhas prioridades e o que possa ser momentos felizes para mim. Uma vida com muitas regras, onde eu possa ter momentos saudáveis mais duradouros, ou continuar vivendo tentando ignorar parcialmente que sou doente.


Mas acho que a segunda parte é a que mais me cabe. Sou uma pessoa do hoje e percebo que a felicidade estará sempre em primeiro plano nas minhas ações. Esse mês fiquei muito feliz por ter dado uma extrapolada nos cartões, só assim pude ter a oportunidade de fazer coisas diferentes e também fazer coisas que nunca tinha me dado ao luxo de fazer tão constantemente.


Nesse embalo comprei uma câmera nova e agora posso postar umas imagens melhores aqui pelo blog. Amanhã provavelmente estarei postando mais alguma coisa.


See you later

terça-feira, 23 de agosto de 2011

1ª Infusão de Remicade

Depois de quase um ano tentando conseguir mudar minha medicação para o Remicade, finalmente comecei o tratamento.

Ao longo desse processo descobri o quanto esse blog vem me ajudando. Foi através dele que conheci Graça, a assistente social da UNICAT. Ela me ajudou muito a conseguir a segunda dose da medicação, que como eu falei no poste anterior, era o que tava faltando ou pelo menos era o que eu pensava que estava. Quando cheguei na clínica eles disseram que precisava de 2 kits de infusão para cada aplicação e eu só estava com um. Ainda tenho que voltar na UNICAT para pegar mais. Mas mesmo assim deu tudo certo.

Fiquei muito ansioso em saber se alguma coisa iria dar errado, mas foi muito tranquilo e eu não senti absolutamente nada. Passei o dia super bem e espero que minha vida fique mais fácil e menos corrida do que está sendo nesses últimos dias.Tava esperando perceber algo diferente, mas tá tudo da mesma forma. Não senti nenhuma mudança, mas também já não estava sentindo sintoma do Crohn depois da cirurgia.

Esses dias o meu peso tá aumentando muito rápido e espero que com o medicamento continue assim, hoje me pesei... estou com 51,8 kg. Essa semana também farei o desmame do corticóide, isso me preocupava, já que quando eu não tomava ele, perdia o apetite e consequentemente perdia peso. Espero que seja diferente, minha dosagem que era de 10mg já reduzi para 5mg hoje e ficarei assim por 5 dias.

Tou usando fotos antigas e algumas novas com qualidade ruim porque tou sem câmera, mas já providenciei uma nova... logo logo fotos melhores por aqui.

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

I'm Tired

Esses dias tive muitas novidades boas, tudo está caminhando mais rápido do que eu esperava, ou pelo menos era o que estava acontecendo até hoje.

Fui para o Dr. Zerôncio e não achei que sairia com a prescrição para iniciar o tratamento com o Remicade, por não ter concluído o ciclo da vacina de hepatite B, ciclo esse que eu não sabia que duraria 6 meses. Ao contrário do que esperava ele já me deu o documento para mudar o meu medicamento na UNICAT e ai fui com todos os exames que pude, já que sei o quanto o sistema é burocrático.

Pela primeira vez tudo foi muito rápido. Não me pediram nenhum exame e eu que ainda nem tinha comprado um isopor para colocar o medicamento, saí de lá com minha primeira dose e um isopor emprestado da própria UNICAT.

Pensei que o mais difícil tinha passado, já que tava apto a começar o tratamento, segundo o médico e já estava com o medicamento em mãos. A única coisa que me restava era fazer a aplicação e daí, por incrível que pareça veio o problema.

A UNICAT me deu a primeira dose e a segunda terei que tomar duas semanas depois, o hospital que levei o Remicade hoje, disse que só realizaria a infusão se eu tivesse com a segunda dose em mãos. Agora nem tenho a segunda dose, nem posso aplicar a primeira, nem o médico atende o celular para me dar alguma alternativa.

Hoje o dia foi bem cansativo, corri bastante para cumprir com todos os meus objetivos e ainda tenho que me preocupar com exigências feitas por pessoas que não fazem ideia do quanto o início desse tratamento é importante pra mim e não sabem a quanto tempo venho lutando com plano de saúde para ter o direito a esse medicamento. Agora não sei o que fazer, as caixas do medicamento caríssimo que tanto comentei no blog, estão na geladeira, esperando o bom senso das pessoas para que tudo se inicie.

Espero no próximo poste estar contando como foi o início do tratamento e não vindo reclamar mais uma vez das burocracias que existem por aí a fora.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Angústia

Desde que saí do hospital e tento voltar a minha vida normal e ser feliz por estar bem, percebo que os momentos de nostalgia com as lembraças que vem na minha mente dos dias que passei internado estão cada vez mais presentes e fico impressionado do quanto isso foi forte e impactante, mais do que qualquer outro momento que já passei em minha vida.

Me tornei uma pessoa bem racional, e hoje consigo entender melhor os meus sentimentos. Isso me ajuda a entender que estou passando por um período de trauma mesmo. Sei que muitas pessoas já passaram por coisas muito superiores ao que eu passei, mas a sensação de que minha dor foi maior do que a de qualquer outra pessoa sempre me ocorre.

Os sentimentos de angústia são diversos. Entre eles as lembraças de quando acordei na UTI sozinho, sem nenbum conhecido, sem saber o que estava acontecendo, nem onde estava... aquela sala de luz baixa, cheia de enfermeiros; também como a temperatura do ar-condicionado me incomodava, como o soro no meu braço dava agonia, como eu sentia desconforto pelo meu acompanhante estar dormido numa cadeira, como a água gelada era ruim de manhã logo cedo... Ou seja, uma nuvem de lebranças ruins, que com toda conciência do quanto é inportante esquece-las, elas insistem em aparecer.

Estou tentando ir o mais rápido possível ao psicólogo, por enquanto continuo com a ajuda da minha namorada para desabafar esses momentos e também com o blog, que me ajuda a despejar coisas que não consigo expressar ou as vezes não lembro de falar para Paula.

As notícias boas é que estou bem fisicamente e que já adiantei quase tudo para o início do tratamento com remicade. Marcarei o médico amanhã, estou ansioso para o início do tratamento.

Hoje com esse poste triste vim tentar aliviar um pouco o que estou sentindo, mesmo que ainda não tenha conseguido escrever tudo realmente, mas espero esquecer e tentar dar a volta por cima como tenho feito em todas as barreiras que foram postas desde quando descobri o Crohn.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Biópsia

Ontem fui ao médico Marco Zerôncio, mostrei o resultado da biopsia e como já era de se esperar o  diagnóstico era confirmando a doença de Crohn.

Por esse motivo não precisarei fazer mais a enterografia, agora preciso apenas tomar algumas vacinas e fazer alguns exames para realmente começar o tratamento.

O médico disse que eu mesmo escolheria qual o remédio que eu usaria. A diferença é que o Remicade terei que ir ao posto de saúde a cada 2 meses, passar 4h por lá e o Humira eu aplico em casa, sozinho, a cada 2 semanas. Irei pesquisar sobre as vantagens e desvantagens de cada um, já que será um medicamento que usarei até aparecer um mais eficaz.

Tirei minhas dúvidas sobre alimentação e ele disse que o TUDO que tanto ele quanto Dr. Romualdo comentou é realmente TUDO.  Estou tendo algumas opiniões divergentes com minha própria família. Eles são muito conservadores e tem muito medo de eu ter uma recaída, por esse motivo, mesmo o médico dizendo que já estou apto a ter minha vida normal e que já posso até mesmo comer camarão e carne de porco, eles ainda insistem em reagir como se eu tivesse muito mal. 

Também percebi esses dias o quanto estou com trauma dos dias que passei internado, isso está me fazendo muito mau e mesmo tendo com quem compartilhar esses sentimentos ainda fico ruim quando penso. Vou tentar marcar um psicólogo esses dias, sempre é bom ter uma ajudinha extra.

Mesmo com esses pensamentos ruins e minha família tentando controlar os meus passos, irei tentar voltar a minha vida normal, não a de antes da cirurgia, quero agora voltar a ter a vida que tinha antes do Crohn.

sexta-feira, 15 de julho de 2011

Retorno

Hoje voltei ao médico pra mostrar minha cirurgia e tirar algumas dúvidas de como vai ser daqui pra frente... ele elogiou minha cicatrização e disse que segunda-feira eu já posso voltar a assistir aula.

Uma das primeiras perguntas que eu fiz foi "quando eu precisarei passar por isso de novo?", e ele logo completou dizendo que espera que nunca mais. E assim como ele também tenho essa expectativa, já que mesmo sem a úlcera ainda tenho a doença e precisarei continuar com àquela busca pela humira, para controlar e não permitir que eu volte a ter uma nova crise.

Marquei um retor pra ele no dia 27 para discutirmos o resultado da biópsia e marquei Dr. Marcus Zerôncio pra dia 25 para dar início ao processo pra receber o medicamento humira pelo governo.

Tirei os pontos e logo tive vontade de vir aqui escrever e falar de como tou feliz por estar apto a ter minha vida normal novamente.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Me Recuperando

Hoje, uma semana após a cirurgia, vim contar o quanto estou bem e feliz por estar bem. Mais que todos, fiquei muito ansioso de saber como seria essa semana. Ficava esperando saber o que ia acontecer após cada passo que eu desse.


Após ficar três dias sem água nem comida, o meu maior anseio era de como meu intestino cirurgiado iria receber a comida e se era verdade mesmo de que eu não iria voltar para o hospital.


Mas apesar de toda preocupação e do andado de pés arrastados como velhinho, acho que tudo está correndo como planejado ou até melhor...


Hoje minha alimentação está normal, não apresento mais sangue quando vou ao banheiro e já quase tou dando uma carreira... agora aguardar o retorno ao médico, que será nesta sexta-feira e saber se assim como eu,  ele está achando o quadro com uma melhora significativa.


Também ao longo dessa semana fiquei sabendo os detalhes da minha cirurgia. Willkênia disse que minha pressão já estava muito baixa logo no início da cirurgia, por isso eles não tinham aplicado o sedativo, já que minha pressão iria diminuir ainda mais com isso... que foi o que aconteceu. Também que o sangue quando eu ia ao banheiro era normal, desde que não fosse vermelho... tinha que ser escuro do jeito que estava sendo. Tou sempre fazendo caminhadas após as refeições e até tomando a água que vovó diz ser tão importante. Ou seja, faço de tudo pra nunca mais precisar sentir o que senti na semana passada. 


Queria deixar também registrado aqui o meu agradecimento a Willkênia e dizer que você foi muito importante   por tudo ter dado certo... minha titia! e aos meus amigos que torceram por mim e ainda torcem. Agradecer a todas as ligações e visitas que foram e estão sendo feitas. 


Agora é tentar, ainda em casa, reorganizar minha vida na faculdade, para eu conseguir voltar no segundo semestre... muitos trabalhos me aguardam.

sábado, 9 de julho de 2011

Cicatrizes

Fui apresentar o resultado da tomografia e o exame de sangue, no hospital Onofre Lopes, que era onde Dr. Romualdo estava  atendendo e assim que cheguei lá ele me disse que eu iria fazer uma colonospia e logo depois iria me internar pra fazer a cirurgia no intestino.

Foi bem inesperado sair de casa e saber que tudo iria mudar de uma hora pra outra. Cheguei na hapvida pra me internar e lá eles disseram que eu precsava fazer uma tomografia, que eu recusei fazer por estar muito debilitado e já ter feito uma no dia anterior. Cheguei na urgência de 15h do sábado e só fui internado às 2h da manhã do domingo. 

Precisei ficar tomando antibiótico pra estar preparado pra cirurgia, que o médico disse que iria ser realizada apenas na quarta-feira. Até quarta a única coisa realmente ruim que eu senti foi de estar enclausurado dentro de uma sala, tomando soro. Aquele tempo todo e eu ainda nem tinha feito a cirurgia.

Fui fazer a cirurgia e ai começou de verdade o pesadelo, logo que aplicaram a anestesia eu pensei que iria dormir... mas era local e eu fiquei agoniado, logo começou a me dar náuseas. Pedi a Willkênia, esposa do meu tio, que estava assistindo a cirurgia pra me dar algo pra dormir. 

Quando eu acordei, estava na UTI, sozinho. Lá passavam milhares de coisas pela minha cabeça, principalmente pensar quando eu iria beber água já que desdo dia anterior que estava de jejum. Mas faltavam ainda muitos dias para que isso acontecesse. 

Quando voltei pra o quarto da enfermaria, a agonia de estar preso na sala somado com dor e pensamentos de como ia ser a minha vida depois dali, dificultaram ainda mais.

Na cirurgia tiraram 45cm do meu intestino, o apêndice e a minha pressão chegou a 3. Acho que a torcida pela minha recuperação e as energias positivas dos amigos foram fundamentais pra dar tudo certo.

Ontem Dr. Romualdo passou lá no quarto e disse que eu estava de alta. Eu nem acreditei, mas aqui estou eu contado minha história, e tentando não esquecer nenhum detalhe.

Agora estou bem, andando, comendo e acreditando que logo logo estarei 100% de novo.




sexta-feira, 1 de julho de 2011

Um Dia Bem Hapvida



Hoje fui a Dr. Romualdo saber se o quadro de infecção que comentei no post anterior teria alguma relação com a doença... e como estava imaginando ele confirmou. 

Disse que a minha "massa palpável" na minha região inferior direita do abdome estava bem maior do que da última vez que estive lá. Pediu pra eu fazer uma tomografia de abdome total e me lembrou de que seria difícil o plano liberar por estar se tratando de um paciente que não foi atendido pelo médico da urgência. 

Quando cheguei no hospital foi confirmado o que Dr. Romualdo tinha falado, mas eu questionei muito e depois de 2h falando até com a mãe de pantanha, finalmente consegui a liberação pra tarde, já que eles falaram que meu exame de URGÊNCIA só seria realizado na segunda-feira.

Além de se deparar com a falta de estrutura do próprio hospital e ver os mais diversos absurdos, inclusive afirmações de médicos da área de autorização dizendo que meu exame não era um exame de urgência, ainda tive que ver uma situação onde enquanto colocavam uma agulha de aproximadamente 10cm no meu braço, dois técnicos de enfermagem davam gargalhadas e faziam brincadeiras, ocorrendo até mesmo de vazar bastante sangue no chão, e a enfermeira aos risos dizer "olha! melou meu tênis", ainda tive que sair com um soro vazio levantado por mim mesmo após alegarem de que não havia suporte de soro.

Finalmente recebo o resultado do exame e liguei pra o médico que pediu pra eu concluir os exames de sangue amanhã pela manhã e logo em seguida ir no hospital que ele estará de plantão. Disse que irei tomar corticóide injetável e ver quais os procedimentos necessários para uma inicialização no tratamento com o remicade ou com a humira, junto com o Dr. Marcos Zerôncio. Possivelmente seja preciso realizar uma cirurgia, mas que só amanhã poderá me confirmar.

Resumindo estou bem aparentemente, já que mesmo com isso tudo não estou sentindo nenhuma dor. Mas não estou nada bem fisicamente.


Espero voltar com notícias melhores no próximo post, e que esses tratamentos mais avançados realmente possam trazer uma melhora.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Um Tempo Nublado

Acho que essa semana que passou foi bem diferente, já que foi a primeira vez que tenho alguma doença depois que tive Crohn. O problema é que só me aparecem doenças que os médicos não conseguem dar um diagnóstico simples, e até agora ainda não sei o que tenho.

Esses dias fui na praia de Pipa comemorar com minha namorada meus 3 anos de namoro, e além de um fim de semana bem chuvoso, junto com ele me apareceu febre e muita dor no corpo. Tomei um remédio e logo tudo ficou uma maravilha e foi como se o sol tivesse aparecido, ou sei lá... como se o frio tivesse ficado ainda melhor, já que eu não gosto de sol. Resolvi então no caminho de volta à Natal, passar pela casa de um velho amigo meu que tá de férias aqui pelo Brasil e lá tive uma conversa bem agradável sobre minha doença. Os pais dele me mostraram um livro em Francês onde aborda diversas doenças, inclusive o Crohn, e diferente de quase todos os lugares que li sobre a doença, dizia que o Crohn era uma doença de causas psicológicas. Era como se ele tivesse lendo tudo que adotei como regra de vida depois da doença, dizia para externar as emoções e é através primeiramente de estar namorando e depois de ter criado esse blog que venho trabalhando com isso. Dizia muitas coisas, mas resumindo, dizia para esquecer que estava doente e viver uma vida o mais feliz e divertida que pudesse ser. Essa visita me fez muito bem, e ainda estou feliz pelo meu fim de semana ao lado da minha namorada e com essa breve passada na casa do meu melhor amigo.

Mas logo no dia seguinte mais dores e febres foram fazendo parte do meus dias e após diversas idas a emergência da Hapvida, e passando pelos médicos mais bizarros e com cara de "sem preparo" ainda não tive nenhum diagnóstico. Apenas apresento um quadro de infecção. 

Pretendo ir em médicos mais qualificados e no meu proctologista para saber a opinião dele sobre o quadro que vim apresentando essa semana e saber se pode ter alguma ligação com o Crohn, já que o médico, marido da minha prima, Dr. Josivam disse que poderia ser uma infecção na própria úlcera.

Estou bem ansioso e espero que seja apenas algo simples, já que após o término dos antibióticos, finalmente estou me sentindo bem e já voltei tanto a estudar como a trabalhar.

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Uma Dor Diferente

Ultimamente não tenho muito o que escrever aqui, até queria que tivesse já que acho que o próximo passou será começar a tomar o remicade, mas enquanto a enterografia não é liberada fico apenas aguardando.

As novidades que tenho é que estou sendo bolsista do IFRN, e que finalmente tenho um dinheirinho pra contar no final do mês, não aguentava mais minha vida de liseu. Também esse mês fiquei sabendo que meu melhor amigo que já faz mais de 2 anos que tá morando na Suiça apareceu por aqui e saí pra trocar ideias com ele... fora isso também tenho uma novidade ruim, a dois dias atrás senti uma dor muito ruim na barriga, algo diferente, não sei bem como descrever, mas não era cólica nem gases... ainda não estou 100% tem horas que penso que vou sentir novamente, mas por enquanto ainda tá tudo normal.

Não sei se é normal essa dor, dói logo abaixo do umbigo e é como se minha barriga tivesse inflamada... dói só de encostar.


A respeito da liberação da enterografia, tou contando com a ajuda do meu amigo Raimundinho lá de Lúcrécia, e espero que ele realmente possa ajudar com isso. Tou aguardando esse resultado desde dezembro, e o tempo corre e as coisas parecem que andam piorando, não sei ao certo... acho que quem tem Crohn nunca sabe de nada.

Pra alegrar um pouco, esse mês Maria Gadú vem cantar aqui em Natal e também vou comemorar numa pousada em Pipa 3 anos de namoro... e por hoje tenho apenas isso pra contar!






quinta-feira, 5 de maio de 2011

Óbvio

Hoje minha tia Cau que é enfermeira, chegou na minha casa... e conversamos a respeito do Crohn e ela pediu pra ver os exames antigos de colonoscopia pra fazer uma comparação e me dizer entre o primeiro e o segundo se ouve uma melhora ou piora. Ela disse que parece estar pior mas que não é nada fora do comum. Aproveitei pra comentar de como tenho falado com pessoas que tem o mesmo problema que o meu e como ela atinge de uma forma muito mais agressiva do que em mim... e ela me fez refletir sobre a idade dessas pessoas e percebi que o único caso que é bem semelhante ao meu é o de Luan, e que tem idade parecida com a minha... e foi ai que comecei a pensar em como isso vai ficar cada vez pior, e se será assim o meu futuro. Foi uma reflexão muito ruim, mas pra mim isso é apenas uma teoria, e que isso possa a vir me ajudar se for preciso futuramente.
 
 Conversamos também sobre uma "Rotina Perfeita", onde falamos de como é bom ter uma alimentação saudável e como um dia a dia organizado poderia ser bom pra mim. Mas dormir cedo, acordar cedo,  fazer caminhada no calçadão de Ponta Negra ou voltar a fazer natação... estão mais próximos de uma realidade de novela das 8 do que da minha. Hoje descobri o quanto sou mais produtivo a noite e de como meu dia ficou mais tranquilo, acho que a tranquilidade e produtividade são realmente as características momentâneas mais essenciais pra mim, já que ainda tou num momento de transição da área de tecnológica pra de humanas e que está exigindo um pouco mais do que eu pensei.

Se tratando de uma alimentação saudável e somando a realidade que eu pude observar sobre o meu futuro com a doença, penso que me comporto de modo infantil já que extravaso muito. Acho que todos que passam pelo que eu passo, ou já tiveram restrição referentes a sua alimentação sabe o quanto isso é difícil.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

A Parada de Ônibus

Num dos tópicos anteriores me fizeram uma pergunta relacionada como o meu psicológico influenciava na minha vida e se eu descobri a doença num momento de estresse. Eu já tinha falado um pouco em relação a isso na parte  "A Doença Antes do Blog", mas essa dúvida me deu uma idéia pra eu fazer esse poste, já que lembrei de algo que me incomoda muito e tem uma ligação tanto com o psicológico, quando com a doença.

"A parada de ônibus" foi escolhido como título porque é onde passo momentos de agonia. É um local que tudo parece estar bem até você chegar lá, ai você descobre que é dependente e que ali é uma situação onde você está distante de todos os seus aliados, banheiro e papel,  e isso tem um peso tão grande que imediatamente já da vontade de fazer cocô. Chega a ser impressionante, no momento que o ônibus chega parece que tudo volta ao normal e que a sua vontade de ir no banheiro nunca existiu.Não sei se esse fato é exclusivo meu, mas tenho certeza que isso ocorre com uma freqüência bem significativa.

Existem diversas pesquisas relacionada ao comportamento da doença e o fator psicológico, e particularmente acho que esse aspecto deve ser tratado com muita importância... muitas vezes acho que minhas dores são uma forma de externação do meu peso na consciência quando eu como algo que eu deveria evitar.

Queria aproveitar também pra dizer que fiquei feliz com as perguntas que foram feitas aqui no blog e dizer que sempre que eu puder estarei respondendo e sintam-se à vontade...

quarta-feira, 6 de abril de 2011

Clean Smile =D

Fazia três anos e meio que eu usava aparelho, e quem usou sabe o quanto o dia de tirá-lo é aguardado. Esse dia finalmente chegou e fiquei feliz com o resultado, apesar da minha namorada ter dito que eu pareço ter mais dente do que o normal e ter feito uma comparação comigo e o burro do Shrek.

Essa felicidade talvez tenha servido pra tirar de um momento de estresse com trabalhos da faculdade pelos quais eu estava passando. Essa onda de trabalho em grupo sempre gera muito dor de cabeça, principalmente quando não temos, ainda, afinidade com o pessoal da turma. Pra resumir a história, a pessoa que ficou responsável pelo "slide" e o texto roteiro simplesmente adoeceu e só percebemos isso umas 2h antes de começar a aula. Mas pedi tanto a Deus que a professora concordasse em adiar nossa apresentação que ela acabou nem indo dar aula.

O meu dia foi tão perfeito que até o meu ônibus veio vazio, coisa que NUNCA acontece, e aproveitei a companhia de amigos legais pra discutir assuntos muito constrangedores na frente do pessoal do bus (risos com Viviane).

Também numa conversa super legal pelo telefone com minha namorada e entrando no assunto da minha doença, comentei o quanto estou bem esses dias e parece que estou me adaptando ao café, ou pelo menos é o que eu espero que esteja acontecendo, já que é meu vício. Também falei de como estou feliz pelos comentários e o número de visualizações do meu blog que estão aumentando, e queria deixar claro que estou sempre a disposição pra trocar ideias sobre a doença.

E acho que hoje termino o dia ótimo dizendo que as dores parecem ter tirado umas férias... 

quarta-feira, 16 de março de 2011

O Invisível Me Incomoda

Depois que passei no IFRN parece que minha vida começou a movimentar melhor... ainda falta aparecer algum emprego, tanto pra mim quanto pra o meu pai. Mas acho que isso não será num futuro distante, e que junto a novos empregos eu possa dizer que meu ano tá se igualando ao de 2010.


Essa semana, depois de muito tempo que não vou numa balada, resolvi sair. Foi muito divertido e lá junto com minha diversão a parte inconveniente da doença sempre aparece.


Estou tendo muitas dores ultimamente, e isso as vezes chega a incomodar, sinto vontade de compartilhar com quem estar a minha volta, como se um desses alguém pudesse fazer algo por mim. Mas essas dores são silenciosas e só quem ouve os gritos dela sou eu mesmo, penso até como sou egoísta em querer que os outros ouçam-na. 


Pensei em escrever desde sábado, e logo agora quando estava deitado na cama sentindo dores recordei e resolvi compartilhar.


Quando falo em compartilhar minha dor, muitas vezes tenho minha namorada ao meu lado pra me escutar e me socorrer, parece que ela sempre consegue contornar a situação, e que pena que não posso, no momento, tê-la sempre ao meu lado, pois seria uma boa hora pra ela estar aqui...

sábado, 26 de fevereiro de 2011

1º Passo

Muitas coisas andei esperando que acontecessem, acho que por isso a coisa que menos esperava aconteceu.


Passei no IFRN (Instituto Federal de Educação Científica e Tecnológia do RN), no curso de Produção Cultural. Isso me deixou animado, já que não aguentava mais o vácuo que tinha em relação a qual carreira deveria seguir, ou pelo menos por onde começar a caminhar.Tenho projetos junto com grandes amigos de trazer coisa boa pra minha cidade, e acho que esse curso ajudará muito mais do que física, hahuuhauh...




Em relação a doença, tive resposta do SUS de que não tem possibilidade da enterografia ser liberada, e agora a única alternativa que me restou é fazer particular e entrar com um processo como já tinha comentado no post anterior.


Fico feliz, fico triste, fico com dor, fico com espinha... Mesmo assim ainda continuo feliz por saber que meus problemas são poucos, comparado a muitos outros. Então agora é seguir em frente, que tudo dê certo, e que eu consiga fazer esse exame e começar o tratamento o mais rápido possível.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Novidade? Boa?

Senti a necessidade de fazer um poste hoje, já que depois de muito tempo tenho uma novidade. Esperaria eu que depois desse tempo essa novidade tivesse sido uma ótima notícia e que tudo começasse realmente a caminhar. 


Hoje fui ao meu gastro pedir o que o plano disse que estava faltando pra liberação do exame, que era fazer um relatório justificando o porque que ele tinha solicitado a enterografia. A coisa mais obvia era que se na guia tinha dizendo que sou paciente portador de Doença de Crohn, seria uma insolência pedir uma nova justificativa. E foi com essas palavras que ele me disse do fato de não haver necessidade de um relatório. 


Depois de tudo ele me explicou que os planos não estão mais liberando, em hipótese alguma, a realização desse exame, e que o único hospital aqui de Natal que faz ele é a LIGA, disse também que a única coisa que eu poderia tentar fazer seria pagar e depois entrar com uma ação contra o plano de saúde exigindo o ressarcimento do valor pago. 


Tudo isso pra eu conseguir fazer um exame, pra depois eu poder suspender o meu medicamento que já tomo a mais de 2 anos e que já não está fazendo efeito e substituí-lo por um melhor.


Falando em medicamento...
Também tive dor de cabeça nesse começo de ano pra liberação da azatioprina pela UNICAT, estava faltando um tal de IADC (Índice de Atividade de Doença de Crohn). Não estava conseguindo entrar em contato com Dr. Romualdo, e não sabia o que fazer, minha medicação estava acabando. Quando finalmente consegui entrar em contato com o médico ele colocou um número no papel, bem assim pra ser mais específico "IADC: 48", número que qualquer um da própria UNICAT poderia ter me ajudado e ter escrito no papel. 


Continuo aguardando notícias agradáveis esse ano, e gostaria de agradecer aos amigos que estão lendo e dizer que sou feliz por ter vocês.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

De Cabeça Pra Baixo?

Começou bom? ou começou ruim?, já sei o que fazer? ou não sei o que fazer?, estou bem? ou estou mal?...


Resumindo, é assim que está sendo esse ano pra mim... um paradoxo, uma espécie de dúvida constante em que eu não consigo enxergar o que realmente está acontecendo ao meu redor.


Ultimamente tenho estado num verdadeiro "nem"... nem trabalho, nem estudo, nem sigo dieta, nem nada. Quando tento enxergar o que está acontecendo eu vejo: tou sem emprego, meu pai também, não estou fazendo a faculdade que eu quero, estou doente, não tou indo pra festas. Por outro lado, estou namorando e amando mais que nunca, estou mais próximo de conseguir fazer Design gráfico do que nunca, estou terminando de fazer as etapas de emprego do call center, tenho estado com os meus amigos, e tenho visto minha namorada todos os dias nessas férias.


Ainda continuo no "nem"...


Ainda não está bom, porque fora minha namorada e os meus amigos o resto é tudo hipótese... contar que isso se torne realidade é o que eu mais estou acreditando.  


Tou esperando ainda o  plano de saúde liberar o exame e começar o tratamento com remicade, o corticóide está me deixando muito cheio de espinhas... e não está tendo 100% de efeito. Essa espera é muito cansativa, estressante, desgastante. Não aguento mais ir e voltar dos médicos e nunca acharem uma solução, e enquanto isso acontece, estou aqui e nada parece resolver. Minha vontade é de gritar bem alto com todo mundo, mandar todo mundo se fuder, porque só sabe como é ridículo ver pessoas fazendo pouco de uma coisa que tem grande importância pra você, quando você está na minha situação.




Nunca desejei tanto que tudo fique resolvido como estou desejando esse ano, mesmo sabendo que já passei por coisas piores. Mas a questão não é que está sendo ruim, a questão é não está sendo nada.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

- Tédio ¬¬'

Em plenas férias tive que acordar cedo, mais uma vez tento resolver o problema com o plano em relação ao exame que o Dr. Marcos Zerôncio passou. Já faz mais de um mês e quando finalmente volto lá pensando que o exame está autorizado, tive a surpresa de saber que ele está no mesmo ponto em que o deixei, simplismente porque o nome do exame está diferente do que eles pedem... 


Tive que ligar pra Dr. Lenilde, a minha antiga gastro pra ela me socorrer e corrigir essa guia, já que o Dr. Zerôncio é particular, fiquei esperando um bom tempo, sempre o consultório dela está muito cheio, mas ela retificou, e o nome que era "Ressonância magnética do abdome total (enterografia)", teve a incrível mudança para "Enterografia peroral com ressonância magnética", só acho absurdo eles não terem me alertado esse problema com o nome no dia em que levei a guia lá.


Esse mês, como de rotina a UNICAT pediu pra eu fazer uma atualização dos meus dados pra eu continuar recebendo a azatioprina, e tenho que correr pra fazer mais exames de sangue. Além disso tenho que conseguir um atestado de atividade da doença, e nesses últimos meses Dr. Romualdo já mudou de clínica três vezes. Tudo parece estar um caos, até mesmo os meus médicos.


Sempre que faço um exame aparecem outros, parece carrapato em cachorro, quanto mais você tira, mais você acha. Digo isso também porque nessas férias minha namorada foi presenteada com uma cadelinha linda, mas a coitada veio cheia de carrapatos, e parecem não ter fim. 


O bom é que essas férias tou aproveitando bastante e extravasando em relação a minha alimentação, tou comendo de tudo, ainda não tive nada muito grave, por isso ainda estou teimando, quando voltar as aulas, tentarei voltar a minha dieta antiga, ou parcialmente a ela.


Sinto muita vontade de escrever aqui no blog, mas não estou tendo muitas respostas aos meus exames como vocês puderam ver, então não tenho muito o que falar em relação a isso, não tou entrando muito no msn mas tou com saudade de conversar com meus amigos Juliana e Luan, espero ter notícias deles.


Abraço